Espelho, espelho meu, por Sylvia Loeb

Gostaria de fazer uma entrevista com você, pode ser?
Claro! Pra que é?
Uma série em que me apresento como psicanalista e escritora.
Eu também fui escritora, trabalhei em jornal, escrevia muito. Aliás, minha vida daria uma romance. Fui repórter e modelo, sempre fiz balé.
Pois é, como ia dizendo, uma série que fala de pessoas que moram sozinhas, de como é a vida delas, se já amaram muito, enfim, vida amorosa, vida pessoal, profissional.
Ahã…, e você vai publicar?
Só se você permitir.
Pode mudar meu nome? Sabe, não quero aparecer, preciso cuidar de minha imagem.
Claro.
Bem, você sabe muita coisa da minha vida.
Sei mesmo, mas faz de conta que não sei nada.
Bem, qual a primeira pergunta?F
Vida profissional.
Bom começar por aí! Muito sucesso, sempre tive muito sucesso. Fiz um curso em Nova York quando fui pra lá com meu marido. Curso de estética; quando voltei para o Brasil abafei, ninguém conhecia o método. Em pouco tempo meu consultório ficou cheio, ninguém trabalhava daquele jeito, era novidade completa por aqui. De lá pra cá, não paro de crescer, sucesso absoluto. Ninguém faz o que eu faço. Jamais fiquei sem cliente, não sei o que é crise.
Gargalha feliz, a boca bem aberta, dentes brancos e grandes enfeitam seu rosto de pele impecável.
O que mais você quer saber?
Já amou muito?
Muuuito! Meu ex- marido foi meu grande amor, quase morri quando ele me abandonou por aquela mulher. Emagreci sete quilos, fiquei mal, não entendia o que tinha acontecido. A gente se dava bem, era o casal perfeito, todo mundo falava isso, todo o mundo perguntava, como ele pôde trocar você por aquela mulher pavorosa? É que era marinheiro de primeira viagem. Imagine que eles trabalhavam na mesma firma, ela começou a se insinuar, sabe como é homem, né? Teve um caso com ela, que se separou do marido por causa dele, ele entrou na dela, disse que não podia deixar ela sofrer. E eu? Podia me deixar sofrer?! No começo tudo é novidade, cama nova, devia ser isso, claro!
Viajamos três vezes pra conversar, ele estava dividido, chorava, dizia que me amava, mas que não podia deixar a outra, essa história levou oito meses, lembra? Fiquei seca de tanto sofrer.
Mas você nunca deixou a bola cair, sempre arrumada.
Claro, eu trabalho com imagem!
Joga a cabeça pra trás, o cabelo louro e liso vem e volta, cai novamente no mesmo lugar, os olhos azuis brilham no fundo da pintura negra, uma máscara de tragédia quebrada pelos dentes branquíssimos, resultado de muito cuidado.

Minhas clientes me adoram, acham que eu rejuvenesci desde que me separei. As peles delas estão incríveis, elas não acreditam, me dizem, quero ter uma pele como sua. Uma delas, a Denise, até assustou quando se olhou no espelho depois do tratamento. O que é isso? Fiquei mais nova dez anos! O marido dela também quer fazer! Não tenho mais horário, tenho fila de três meses de espera!

Sua pele está incrível!
Também, cuido dela desde que eu tinha vinte anos! Ninguém me dá a idade que tenho, outro dia me disseram que pareço ter quarenta anos, a idade de minha filha!
Gargalha novamente, os dentes brancos ofuscam o olhar. Levanta da cadeira, vai até a mesa, os saltos altíssimos.
Não fica cansada de andar de saltos tão altos o dia todo?
Imagine! Fui modelo, ri novamente, a mesma dança com os cabelos. Sempre andei de saltos altos, me sinto perfeitamente bem. Uma imensa rosa tatuada na barriga da perna.
E essa rosa?
Maravilhosa não? Todo o mundo adorou. O Tony quase pirou.
Quem é Tony?
Meu namorado, não te falei dele? Um inglês, um gato. Bonito, forte, rico. Muito melhor que o primeiro, aliás, você precisava ver a cara dele. Envelheceu muito! Ele é da minha idade, mas parece muito mais velho, o cabelo branqueou, eu sabia que isso ia acontecer. Ele está arrependido, me disse. Haha, eu sabia que ia acontecer, passou o fogo, ficaram as cinzas. Tony quer casar comigo, me levar para Londres. Não quero ir, imagine, largar minha casa, minha família, minha filha, meu trabalho. Já falei pra ele: morar junto?! Nem pensar, não quero mais ouvir “desgastou”. Estou melhor agora do que quando me separei, sabia? Outro dia fui ao aniversário de minha filha, dancei a noite inteira, tinha mais pique do que toda a moçada da idade dela, o cantor ficou doido por mim, que idade você tem?, ele perguntava do microfone, riu novamente. Não parei um segundo! Que idade eu aparento?
Nem cinquenta.
Imagine, me dão muito menos! Passa batom, joga os cabelos. Muitas mulheres me dizem que pareço quase cinquenta… Por que será? Será que sentem inveja? Já estou acostumada. Gargalha.
Você acha que tenho inveja de você?
Imagine!!! Você é psicanalista, psicóloga (estica a sílaba no óóó), escritora, intelectual, essas não têm inveja.
Ri muito novamente.
Nunca fiz análise, psicoterapia, essas coisas. Nunca precisei de ajuda, passei por tudo o que você sabe, sozinha.
Mas você falou muito com suas clientes, não?
Eu?! Nunca falei nada, resolvi tudo sem ajuda de ninguém.
Mas falar ajuda muito, tira o peso, não sentia?
Nunca precisei de ninguém, se fosse por mim, você ia morrer de fome!
Ri novamente, às gargalhadas.
É você que precisa de mim!
Como?!
Uai! Cuidei da sua pele, que ficou maravilhosa. Quando você chegou aqui, até fiquei com pena. Coitada, moça tão simpática, olha a pele dela. Envelhecida, sem viço. Lembra?
Gargalha feliz, joga os cabelos.
Depois…, estou dando essa entrevista de graça, sem cobrar nada, estou dando material para você escrever!
Ri, morre de rir com as próprias falas.

Levanta-se. Acabou a entrevista.
Coloca as mãos na cintura, joga o quadril para um lado, a cabeça para o outro, dá uma paradinha, em seguida um impulso e me acompanha até a porta; na passagem dá uma olhada no espelho, empina um pouco mais os seios, para na soleira, encosta no batente, uma perna na frente da outra, o quadril para um lado, a cabeça para o outro, me joga um beijo, a boca vermelha em forma de coração e gargalha novamente.
Pode publicar! Vai com Deus.
Saio bem deprimida.
Se não fosse por ela, minha pele seria horrível, envelhecida, sem viço.
Se não fosse por ela, a entrevista não sairia.
Se fosse por ela, eu morreria de fome.
___________________________________________________________________________________________________

SYLVIA LOEB – É psicanalista e escritora. Visite seu site, acesse sua página no Facebook ou escreva para o email [email protected]!

 

 

 

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *