Canto chão, por Eder Quintão

Tenho pés bem no chão

E tento até sorrir

Do ruído sem par

De riacho e mar

Porém só em vão.

Sem murmúrios ouvir:

Surdo nasci

 

Tenho olhos só no chão

E sofro, não nego

Não sei como são

E quão belas

No céu as estrelas.

Sem poder vê-las:

Nasci cego

 

Há quem perdeu o chão

Pois desconheceu

Estrelas, riacho, mar  

Ouvindo e vendo viveu

Desdenhando então

O que amar:

Tolo nasceu

 

__________________________________________________________________________________________

EDER C. R. QUINTÃO – É graduado em Medicina pela Escola Paulista de Medicina desde 1959, doutor em Endocrinologia, comendador da Ordem do Mérito Científico pela Presidência da República do Brasil, livre-docente de clínica médica, professor, pesquisador, membro da Academia Brasileira de Ciências e avô orgulhoso de três netos. “São o mais importante feito do meu CV”, segundo ele. Escrever não entra no CV, é paixão.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *