Este artigo é parte do Clube dos Escritores

Claudicante,
por Liliana Wahba

 

 

 

Queria um sapateiro da alma
que consertasse solas desgastadas,
Quando o pisar perde a firmeza, seja porque não encontra o solo,
Ou por resvalar em superfícies escorregadias.
Uma boa sola adapta-se melhor aos imprevistos e
se firma ao perder o equilíbrio,
Adere se um vento empurrar com demasiada força,
Auxilia o impulso necessário para saltos no desconhecido.
O viver desgasta,
Por vezes até carcome a base,
Derrapo, derrapas, derrapastes?
Quantas foram até desistir?
De dançar, de sonhar, de entrever frestas nas estrelas.
Eis que surge o sapateiro …
Voltar a caminhar e, mesmo com novo calçado,
É bom contar com quem o conserte.

 

LILIANA LIVIANO WAHBA – Psicanalista junguiana. Profa Dra da PUC-SP. Diretora de Psicologia da Associação Ser em Cena – Teatro de Afásicos. Autora de Camille Claudel: Criação e Loucura.

 

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *