Este artigo é parte do Clube dos Escritores

David,
por Sylvia Loeb

 

 

 

Com as mãos agarradas em uma barra alta, alçava e baixava o corpo, bem devagar.
Soltou-se, deu um pulo de gato para o chão.
Olhou em volta, me viu, bom dia.
Parei a caminhada, bom dia.

Falar o quê?

Sorri e recomecei a andar.
Você caminha sempre por aqui?
Sim. E você faz muito exercício?
Sim.

O papo morreu.

Difícil afastar a vista.
Quer pegar?
Pegar o quê?!
Quer pegar no meu corpo?
Sorri, virei a cabeça, alcei a mão, não, imagine!
Pode me tocar, pode me tocar.

Difícil acreditar no convite.
Vem, pode me tocar.
Sorri, fiquei olhando pra ele. Não, imagine!
Sorriu pra mim. Pode sim! Vem!

… Apalpei o braço dele.
A carne quente ondulou.

Qual o seu nome?
David. Com d mudo no final.
David?! Você é uma obra de arte, David.
Sorriu.

O papo morreu.

Já vou indo, obrigada.
De nada, imagine! O David de Michelangelo nasceu em 1504, século XVI, em Florença, Itália. Possui carne de mármore de Carrara.  Somos proibidos de tocá-la.
Encontra-se abrigado na Galeria da Academia de Belas Artes, na mesma  Florença, longe dos olhares do grande público.
Difícil não desejar arrancar um pedaço.

O nosso David, mais generoso, nascido no século XX no Brasil, expõe-se a todos os olhares e permite que seu público aprecie o calor de seu corpo.
Difícil não desejar arrancar um pedaço.

__________________________________________________________________________________________

SYLVIA LOEB – É psicanalista e escritora. Visite seu site, acesse sua página no Facebook ou escreva para o email [email protected]!

 

2 comments

  1. Olá Sylvia.
    Sei lá como esse texto do David de10.05 me passou, li agora e gostei muito. Arrojado quebra barreiras nesse momento que tudo é assédio. No caso do texto é duplo, o apolo David seria processado por assedio ao se oferecer a um passante e no caso ela seria presa por apalpar um bonitão na rua. Falando mesmo francamente, bem que eu gostaria de arrancar um pedaço de umas Deusas que cruzo pelas ruas.
    Acho mesmo que devem proteger o David da Academia de Belas Artes em Florença, pois não teve uma vez que um maluco que sei lá porque atacou a maravilhosa peça de Michelangelo. Talvez atraído pelas partes pubentas da escultura. Sei lá, seu David de carne e osso que se cuide, corre perigo.

  2. Leo, assédio, bullying, antropofagia…Não tinha pensado, ainda, em arrancar um pedaço de alguém , mas é uma ideia bastante apetitosa!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *