A dieta da longevidade

Uma alimentação saudável não é só importante para cuidar da saúde do corpo. Quando bem equilibrada com os alimentos certos, ela é capaz de melhorar a memória, a capacidade de concentração e de aprendizagem que, muitas vezes, se ressentem com o passar do tempo.

Será que existe uma dieta da longevidade, capaz de ajudar nossa mente a funcionar melhor? A resposta é sim. Novos estudos sugerem inclusive que a alimentação saudável está entre os fatores mais importantes para manter a mente funcionando bem. Isso porquê determinados alimentos, como os listados abaixo, podem ajudar a prevenir os danos causados pela inflamação das células cerebrais, comumente associados ao envelhecimento e às doenças degenerativas.

1. Nozes 
A vitamina E da noz previne a decadência do sistema cognitivo, segundo estudo publicado no American Journal of Epidemiology. Outros alimentos ricos em vitamina E são aspargos, abacate, azeitonas, ovos e grãos e sementes em geral.

2. Azeite de oliva
Um estudo da St. Louis University School of Medicine, de Washington, nos EUA, provou que o azeite de oliva extra virgem ajuda a combater os radicais livres que estão associados à perda de memória e a doenças como Alzheimer. Os responsáveis por esses benefícios são os polifenóis, agente antioxidante que ajuda a combater os radicais livres, relacionados à perda de memória e a doenças como Alzheimer.

3. Frutas vermelhas
Entre as frutas mais saudáveis da família dos morangos estão os mirtilos (amora azul) ou blueberries. Isso porque essas frutinhas de sabor levemente azedo possuem propriedades antioxidantes que ajudariam a construir conexões cerebrais mais saudáveis. Elas também foram o foco de um estudo publicado na Annals of Neurology, publicação da respeitada Associação Americana de Neurologia, dos Estados Unidos,  e estão sendo relacionadas à diminuição do declínio mental, beneficiando áreas como a memória e o foco de mulheres de meia-idade.

4. Salmão, atum e sardinha
Esses peixes, conhecidos como gordos, são ricos em Ômega 3, ácidos graxos poli-insaturados essenciais para a nossa saúde pois estão relacionados a vários processos do organismo como o metabolismo das gorduras, a coagulação, a pressão sanguínea e a regulação dos processos inflamatórios. Eles também estão associados ao bom desempenho das funções cerebrais e à desobstrução dos vasos sanguíneos, segundo estudo realizado pelo Dr. Frank Sacks, professor de prevenção de doenças cardiovasculares do Departamento de Nutrição da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Além disso, pesquisadores da Tufts University, também nos Estados Unidos, descobriram que as pessoas que comiam esse tipo de peixe três vezes por semana apresentavam um menor risco de sofrer de Alzheimer.

5. Tomate
O licopeno, responsável pela cor avermelhada dos tomates, é um carotenoide que ajuda a combater os radicais livres no corpo e a reduzir o risco de derrames cerebrais, segundo a Harvard Health Publications. Pesquisas também sugerem que o licopeno pode se tornar um aliado na prevenção de certas demências, como o Alzheimer.

6. Goiaba 
Boa fonte de vitamina C, sua ingestão pode estar relacionada à redução da deficiência cerebral durante o processo de envelhecimento e ao risco de derrames, segundo estudo divulgado pelo Departamento de Nutrição e Neurocognição da Universidade de Tufts, nos Estados Unidos. Além disso, a fruta também é rica em vitaminas do B3 e B6. Apesar de todas as vitaminas do complexo B serem importantes para o bom funcionamento do cérebro, a B3, niacina, favorece o fluxo sanguíneo, estimulando a função cerebral, a B6 é um importante nutriente para sistema nervoso.

7. Beterraba
O vegetal ajuda a melhorar a circulação sanguínea cerebral e faz com que a performance mental seja mais eficiente, segundo estudo da Universidade de Wake Forest, nos Estados Unidos.

Esse artigo foi criado pela equipe do Fifties+ e publicado originalmente no site Senior Social 

Senior Social

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *