Meditação 50+

Que a meditação é uma prática altamente indicada para diminuir estresse, ansiedade e dar uma organizada nas ideias, isso é um fato. Mas será que meditar pode trazer benefícios específicos para os 50+?

O Fifties+ conversou com Dr. Roberto Cardoso, membro fundador do NUMEPI – Unifesp  (Núcleo de Medicina e Práticas Integrativas) — em outras palavras, o mestre da meditação —, a respeito de tudo o que o exercício mental pode contribuir para a saúde e o bem estar dos nossos leitores. Prepare-se para ser surpreendido e comece a providenciar uma almofada grande…

Quais são os benefícios específicos da meditação quando praticada por pessoas maiores de 50?

Além dos benefícios que a meditação traz para todos, alguns estudos têm indicado um provável efeito da meditação na “redução do declínio cognitivo”. Ou seja, as capacidades de raciocínio não decaem tanto em idosos meditadores, mesmo naqueles que já começaram a meditar após os 50 anos.

Também reduz as queixas relacionadas ao sono.

Por fim, atuaria em estruturas relacionadas à memória: parece que meditadores têm um aumento da população neuronal do hipocampo, uma região que costuma ter redução da população dessas células em idosos com Alzheimer => isso permite, ao menos, inferir que a meditação poderia reduzir a chance desta doença. Mas outros estudos são necessários para confirmar isso.

Qual é a técnica mais adequada?

Para idosos (principalmente após 60 anos), parece que a longevidade seria melhorada mais por técnicas de atenção focada (tipo meditação transcendental), enquanto a flexibilidade cognitiva seria mais beneficiada por técnicas mais subjetivas (tipo mindfulness).

Nosso grupo defende aquilo que chamamos de “progressiva sutilização da âncora”, o que implica em iniciar com técnicas mais focadas e progressivamente evoluir para técnicas mais subjetivas. (Leia mais a respeito de âncoras para ajudar no foco aqui)

Nem sempre é fácil manter uma rotina de meditação. Uma dica para não desistir?

Crie um ritual. O mesmo cômodo da casa, a mesma poltrona, alguma foto (ou quadro, ou imagem) que inspire você a meditar…

Quando possível, conte com um instrutor nas primeiras 12 semanas, período em que o hábito é “instalado” na nossa mente. Outra possibilidade, é praticar em um grupo, que pode se encontrar uma ou duas vezes por semana, enquanto você complementa com a prática domiciliar diária.

E, principalmente, disciplina. Se você dispõe de uma método sem custo, e com tantos benefícios, por que não utilizar?   Isso vale uma reflexão sobre o que você está disposto a fazer por você mesmo e o quanto está disposto a assumir a responsabilidade sobre a sua própria saúde.

Esse artigo foi criado pela equipe do Fifties+ e publicado originalmente no site Senior Social 
Senior Social

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *