Este artigo é parte do Clube dos Escritores

O primeiro encontro, por Sylvia Loeb


 

 

As pernas abertas e dobradas, o médico apoiado em sua barriga empurra o bebê para fora, é muito bruto, não é assim que uma criança deve nascer, mais um urro, sangue, fezes, um jorro de água traz o bebê para o mundo.  

As solas dos pés esquentam numa onda de calor, bom, muito bom, nem sabia que os pés estavam gelados, mas os dentes batem, os ombros tremem, está com frio?

Arrombada, sente-se arrombada, a barriga murcha, uma bexiga vazia, os seios inchados, sem leite.

Ela sente a pele grudenta, deveria estar feliz, vai ficar feliz mais tarde, sabe que vai.

Queria tanto um bebê. Levaram meu bebê para onde? Devolvam meu bebê. 

Sem forças, a mãe geme. Um peso quente em cima da barriga, dói tudo, um corpo melado, meu bebê, parece o filhote da Caki, coberto por uma pasta esbranquiçada, vou ter que lamber minha cria, igual à cadela.

Mais uma cólica, dobra as pernas para proteger o ventre da dor, uma papa escura e sangrenta sai de dentro dela, inunda a cama, o bebê chora, ela abraça seu bebê, aspira o odor da pele dele  e chora junto.

__________________________________________________________________________________________

SYLVIA LOEB – É psicanalista e escritora. Visite seu site, acesse sua página no Facebook ou escreva para o email [email protected]!

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *