Este artigo é parte do Clube dos Escritores

Persona,
por Sylvia Loeb

 

 

 

Ela não tem lugar.
Para disfarçar, franze a testa levemente, levanta apenas uma sobrancelha, a esquerda.  A sombra de um sorriso entorta um dos cantos da boca, do mesmo lado que a sobrancelha. O olhar, de quem já viu muita coisa,  avalia ironicamente alguma situação invisível para os outros.

Ela não tem lugar.
Para disfarçar, fala coisas vagas, pensamentos filosóficos ou  esotéricos, que poucos entendem.
Se alguém ficar intrigado, alça a sobrancelha esquerda e repete as mesmas frases, enquanto olha para o horizonte longínquo, tecendo retalhos de pensamento.

É considerada uma mulher interessante, misteriosa.
Só  ela sabe que não consegue formular um pensamento, só ela sabe  que junta palavras ouvidas aqui e ali.
Só ela sabe a onda gigantesca que cresce e explode dentro dela, sem saída.
Só ela sabe que não tem lugar.
Ninguém jamais a viu chorar.

__________________________________________________________________________________________

SYLVIA LOEB – É psicanalista e escritora. Visite seu site, acesse sua página no Facebook ou escreva para o email [email protected]!

 

2 comments

  1. Assim não é se lhe parece! Caricaturas geniais – são traços! Esse microconto me lembrou: ‘Muito além do jardim’ – ‘Mágico de oz’ – ‘O rei está nu’ [e é LOEB quem denuncia a nudez]. Meu pai, diante de figuras enganadoras como essa, talvez dissesse: ‘É picaretagem da grossa’…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *