Se você ainda fuma, está mais do que na hora de parar

O hábito faz mal para a saúde, para a pele e ainda rouba sua energia.

Os dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão do Ministério da Saúde, são alarmantes: a cada ano, aproximadamente 200 mil pessoas morrem precocemente devido a doenças causadas pelo cigarro. Segundo Daniel Deheinzelin, médico do núcleo de doenças pulmonares e torácicas, do Hospital Sírio Libanês (SP), o fumante do sexo masculino vive 15 anos a menos em comparação aos não fumantes. Já as mulheres, 10 anos. Entre os males mais conhecidos causados pela nicotina estão o câncer, doenças pulmonares e cardiovasculares. Mas não é só como você poderá ver a seguir:

Envelhecimento precoce

O cigarro é um dos maiores inimigos da beleza. Isso porque a nicotina faz com que os vasos fiquem mais estreitos prejudicando o fluxo de sangue para as camadas mais externas da pele. Resultado: rugas precoces, flacidez, falta de viço, olheiras e bolsas nos olhos. “Os produtos químicos do tabaco atacam as fibras de colágeno e elastina, responsáveis pela sustentação da pele. Daí surgem os sinais de flacidez e os vincos mais profundos que dão a aparência de rosto envelhecido”, explica o pneumologista, Frederico Fernandes, de São Paulo. O fumo excessivo também traz problemas de cicatrização da pele.

Problemas emocionais 

Nem sempre o cigarro é procurado para dar prazer. “Entre os fumantes, pelo menos dois terços acreditam que o cigarro é capaz de acalmar a ansiedade, e um terço, a depressão”, informa a psicóloga Edinalva Cruz, membro da equipe de antitabagismo do Hospital Universitário, da Universidade de São Paulo (USP). Nada mais equivocado. Segundo os especialistas no tema, de fato, a nicotina produz uma sensação de satisfação e prazer na primeira tragada. Porém, quando a concentração de nicotina no sangue cai, o fumante sente novamente uma forte vontade de fumar e a ansiedade se agrava.

Dentes em perigo

Nem só mau hálito e dentes amarelados são consequências do cigarro. De acordo com um estudo publicado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), nos Estados Unidos, os fumantes têm duas vezes mais chance de perder os dentes em comparação a pessoas que não fumam. “Isso é causado pela redução no fluxo sanguíneo do organismo que agride a gengiva e a raiz do dente, facilitando sua queda”, explica Daniel Deheinzelin, pneumologista do Hospital Sírio Libanês (SP)

Digestão comprometida

Os elementos contidos na nicotina irritam as paredes do estômago e podem causar náusea, azia e aquela sensação de estômago embrulhado. E pior, também é capaz de comprometer todo o aparelho digestório. Além disso, quando as substâncias tóxicas do cigarro são metabolizadas no estômago, o fumante pode desenvolver gastrite, úlcera e até mesmo câncer. A região mais afetada é o esôfago, que sofre lesões a cada tragada.

Veja os benefícios de parar de fumar, segundo pesquisas do Instituto Nacional de Câncer (INCA):

  • Após 5 a 10 anos: o risco de sofrer infarto é igual ao das pessoas que nunca fumaram.
  • Após 1 ano: o risco de morte por infarto já se reduziu à metade.
  • Após 3 semanas: a respiração se torna mais fácil e a circulação também melhora.
  • Após 2 dias: seu olfato volta a perceber os aromas e o paladar já consegue saborear melhor a comida.
  • Após 12 a 24 horas: os pulmões passam a funcionar melhor.Esse artigo foi criado pela equipe do Fifties+ e publicado originalmente no site Senior Social 

    Senior Social

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *