Este artigo é parte do Clube dos Escritores Clube dos Escritores 50+ De viver e morrer Eliane Accioly

De viver e morrer,
por Eliane Accioly

Resta aos mortos depender dos vivos, para viver.


Eles chegam de quando em quando, inesperados,

em memórias,

imagens lusco-fusco.


Se me lembro de festas e viagens,

percorrendo com minha amiga pequenas cidades

antigas,

conhecendo a Casa do Bandeirante,

entrando em igrejas escuras,

não vou negar, fico triste.


Ainda não sei se por ela, se por mim,

se por nossa (perdida) juventude

6 comments

  1. Você retrata bem as evocações vivas e doloridas que se contrapõem à ausência, total, definitiva, sem sublimações possíveis, a não ser se reconhecer na tristeza e abraçar quem ficou.

  2. Como é impactante a primeira estrofe! Sintetiza o que estamos vivendo. Um achado.
    Só um belo poema é capaz de amenizar e dar alento às coisas dolorosas que ele mesmo diz. Grato, Eliane.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *