Este artigo é parte do Clube dos Escritores Blog Clube dos Escritores Eder Quintão Dimitri Shostakovsk 1

Dmitri Shostakovitch Rememorado,
por Eder Quintão

Em Dmitri inspirado
E sons emprestados
Fiz com eles sonhos
E versos encantados
De bardo resignado

Quantas letras
Deve o poema ter
Para enternecer?
Qual talhe de estrofe
Mais comove?

“Resposta do artista
A uma justa crítica”:
Poema mais se faz
De quanto sonhar
Sem letras poupar

Não conto linhas
E poesias escrevo
Nas de amor revelo
Também importa
Não serem minhas
Palavras mortas

Nem contam emoção
Estrofes em profusão
Não incomoda se são
Escassas ou multidão
Do poema a dimensão
Mede-se pela paixão

Ao passar dos oitenta
O que um poeta tenta
É o verso que inventa
Fazer o que o contenta
Antes de seus noventa
Acaso que nem intenta

Aqui bem resumidas
Em estrofes contidas
Fizeram os poetas
Poemas de amores
Com tantas dores
Sofridas e sentidas
Em singelas linhas
Como as minhas


Quintana
Oito

A paz
A mim
Apraz


Bandeira
Onze


Se chorar
Ajoelhar
Rasgar
Não acredita
Teresa

Fernando Pessoa
Doze

Dor
De amor
Não mente
Se sente

Hilda Hilst
Treze

Mergulha
De tristeza
Em oceano
De beleza

Machado de Assis
Quatorze

A Carolina
De saudade
Genuína

Florbela Espanca
Quatorze

Perdida
De angústias
Tantas
Como a vida

Vinicius
Quatorze

Versos
Inquietantes
Tão distantes

Camões
Quatorze

Linhas
Amadas
E vividas
Muito mais
Do que as
Humildes
Minhas

Cecília Meireles
Quinze

Sublime
Canção
De amor
Que morre
Em vão

João Cabral
Quinze

Só afago
De mago
O esteta
Inventa

Cesário Verde
Dezesseis

São amores
Desta vez

Drummond
Vinte uma

Aqui se acha
O que se ama
Com tal graça
Que se abraça

Shakespeare
Vinte duas

Tempera
As tintas
Se esmera
Tanto
Quisera
Fossem
Minhas

Cora Coralina
Vinte três

Cada vez
O amor
Promove
Comove
Envolve

Gonçalves Dias
Vinte e quatro

Vida de amores
Nela sepultou
Tristes dores

Álvares de Azevedo
Vinte e quatro

Sonhar, dormir
Fazendo sentir
Moram comigo
Em meu jazigo

Chico Buarque
Vinte e oito

A sonhar
Sem se afobar
Passa o tempo
De amores
Bastantes

Castro Alves
Trinta e duas

Lidas,
Sentidas,
Vividas
Num breve
Instante
De vida

Manoel Bandeira
Quarenta e uma

Da Teresa
Falada
E tanto vê-la
Viu nada

João Cabral
Cinquenta e sete

Onde se lia
Cheiro de maresia
Amor de infância
Nada mais veria

Ao todo minhas
Cinquenta mais uma

Poeta afoito
De estâncias
Fez dezoito
Para festejar
Só por amar
Letras ao ar
Cujo intento
Foi esvoaçar
Como vento
Velas ao mar

One comment

  1. Suas palavras brincam, pulam, você é um poeta brincalhão, não é sisudo nem mal humorado, você não é um poeta sério, faz rima, faz soneto, faz verso, faz o diabo. Brinca com os poetas, todos seus amigos, com os compositores também, e com os escritores também.Você não é um poeta serio, você não é um velho sério.Você é demais!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *