Este artigo é parte do Clube dos Escritores

DRs no ônibus
por Clemari Marques


Mal entramos no ônibus lotado e já ouvimos aquela voz forte de homem gritando lá do fundo, pendurado na alça que era a única coisa vazia ali:

E aí pessoal! O tema polêmico de hoje é DR. Discutindo os relacionamentos. Vocês acham que o transporte abala o relacionamento?

Pensa bem. A mulher fica uma hora no ponto, no final do dia de trabalho, pra pegar um ônibus lotado, ficar duas horas em pé, apertada, encalorada, chacoalhando. Aí chega em casa, tem que fazer a janta pro marido folgado. Porque o que mais tem é marido folgado por aí. Tem condições de alguma coisa mais depois disso???

Não tem relacionamento que resista!

Gargalhadas…

O transporte abala sim o relacionamento!

Então , pessoal, mais uma pergunta sobre nosso tema polêmico de hoje:( ele falava sem parar, fazendo perguntas diretas aos passageiros)

Ficar o tempo todo em casa abala o relacionamento? A senhora aí, é casada há quanto tempo?

Seis anos!

E vocês saem bastante?

Não? Nunca? Seis anos enfiados em casa sem sair ? Só por Deus! Tem que ter muita fé pra não abalar o relacionamento. Precisa sair com o marido gente. Eu sei que tá tudo caro, mas vai comer na casa dos outros.

Eu, por exemplo, vivo fazendo amigos. Falo com todo mundo e arrumo amigo em todo lugar. Assim tenho bastante casa pra comer. Eu adoro comer na casa dos outros. Pode também pegar um cineminha. Ver Os Dez Mandamentos… Eu fui ver Os Dez Mandamentos e chorei cinco vezes. Naquela hora que os hebreus foram soltos eu me acabei de chorar. Os caras chegaram e falaram “Bora hebreus! Vocês tão livres. Se manda”. Foi muita emoção!

Aquele bando de hebreus livres, saindo pra pegar o ônibus Parelheiros/Vila Mariana (era o nosso). Foi muita emoção!

Nessas alturas todos estavam com um sorriso no rosto prestando atenção para não perder uma palavra da enquete.

Voltando ao nosso tema polêmico de hoje!

Você acha que a falta de dinheiro abala o relacionamento?

Porque tá difícil, né, gente?

Vai chegando o dia 5 e as pessoas vão ficando com a cara cada vez mais fechada. Antigamente, a gente esperava o dia 5 todo feliz. Quando estava perto do dia 5 você só via todo mundo rindo sozinho. Agora, vai chegando o dia cinco, todo mundo só chora. Só chega conta e cobrança, mas o dinheiro que é bom…

É triste!

O ônibus estava cada vez mais lotado, mas todos que se espremiam para entrar logo percebiam o clima divertido, se ajeitavam como dava, sem nem reclamar e entravam na brincadeira.

Mas triste mesmo é trabalhar no cemitério. Eu não gosto de ir ao cemitério. É muita tristeza ! Você entra numa salinha tem uma mulher gritando:

– Ai, meu deus! Quem vai pagar minha Net ?

Entra em outra sala, vem outra mulher desesperada gritando:

– Ai, meu deus! Quem vai pagar meu carnê das Casas Bahia ?

É muita tristeza gente!

Não é fácil sustentar uma mulher hoje. Só morrendo mesmo. Mas tem que se divertir. Tem que dar um jeito de se divertir, senão a vida não vale a pena.

Mulher gosta é do Toni Ramos. Eu também gostava dele. Mas agora peguei raiva. Essa história de ficar falando das maravilhas da carne, não dá. Precisava falar que pé da galinha é que é bom. É sim. Super nutritivo. Pé de galinha é colágeno puro. Deixa a pele uma maravilha. Come pé de galinha todo dia que fica com a pele de artista. Que carne maturada, de rico, que nada!

Voltando com o tema polêmico de hoje gente! Não vamos perder o foco. Você acha que o celular abala o relacionamento?

Não gente, porque antigamente, a gente aproveitava o ônibus pra pegá mulher. Puxava um papo; ia logo pegando o telefone e pá! Acabava até em casamento. Quem aqui conheceu o marido no ônibus?

Sorrisos disfarçados. Troca de olhares. Eu e meu marido não nos conhecemos no ônibus, mas lembramos dos encontros inesperados da vida.

Agora, tá todo mundo com fone de ouvido e a cara enfiada no zap zap. Como é que dá pra ter relacionamento, gente?

Todo mundo só no relacionamento virtual… como é que dá pra ser feliz no virtual minha gente? Cada um deita na cama e liga seu celular.. Não dá, minha gente! Como é que faz pelo celular??? Eu, por mim, explodia tudo que é celular e voltava a dormir de conchinha. O povo trocou a conchinha pelo celular.. que que ceis acham disso? Dá pra ter relacionamento pelo celular?

Que pena… chegamos ao nosso ponto. Hora de descer. Eu e meu marido, com 35 anos de casados, queríamos saber mais sobre o que atrapalha o relacionamento.

O professor, a essas alturas, já sentado no último banco, deu um aceno e um sorriso. Tive receio o tempo todo de que ele nos perguntasse como mantivemos o relacionamento por tanto tempo. Mas ele não faria isto, pois era um expert no assunto. Sabia que não éramos do tempo do relacionamento pelo celular.

Descemos agradecidos pela aula.

Grátis. Nem a passagem nós pagamos.

Conclusão: sem abalos no relacionamento.

Êta vida boa!

2 comments

  1. Está mudando, divertindo mais, a cara dos Fifties quando se escreve o cotidiano com tanto humor. Eu havia ficado inibido quando enviei a crônica “Feliz aniversário”. Esta aqui fez perder inibições.

    Eder Quintão

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *