Este artigo é parte do Clube dos Escritores Clube dos Escritores 50+ Vera Celms Manha Minha

É manha minha,
por Vera Celms

Choro de dor

De sono, de bravo,

Se a fome for grande demais

Choro se você briga comigo

Também não gosto de castigo

Não gosto de injeção,

De dentista também não

Choro se ninguém fala comigo

Se não me chamam pra brincar

Se a bola cai em outro lugar

Choro quando eu me ralo

E se o curativo arder também

Choro com medo do escuro

E também se caio do muro

Não choro com azedo, nem com amargo

E nem quando acordo molhado

Faço bico, engulo o choro de raiva

Pra ninguém dizer que é manha

Aí a lágrima fica indecisa,

e fica esperando, esperando, esperando…

Sentada na beira do poço do olho

As vezes seca, as vezes sai,

As vezes volta, as vezes cai…

Mas, é às vezes, só às vezes.

O trabalho MANHA MINHA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *