Este artigo é parte do Clube dos Escritores Blog Clube dos Escritores Julio Miranda Eis o que gosto

Eis do que gosto,
por Julio Miranda

Apaixonar-me!

Sonhar acordado, sorrir desvairado e sem motivo aparente!

Correr ofegante, sem um quê de urgente,

ter febre e tremores, delírios e dores, tal fosse doente!

Gosto de me apaixonar!

Gosto da falta, gosto da mágoa

gosto da angústia, e o salgado da lágrima!

Gosto do tédio e gosto da raiva!

De ciúmes, vigília, de mentira e segredo!

De prisão e degredo, eu gosto é do medo!

Gosto do muito que precede o vazio,

gosto da luz que adivinha o sombrio!

Do perto, do incerto, do longe e do nunca mais!

Do que nunca vem, nunca chega e que ninguém traz!

De buscar o inexistente em nós,                             

e encontrar o que não tens pra me dar!

Gosto mesmo, é de me apaixonar!

3 comments

  1. caro colega,
    Li seu “Eis do que gosto”,
    gostei do seu poema.
    Principalmente como v. o termina.: “encontrar o que nao tens para me dar”

    Apaixonar-se é sofrimento e no seu poema nao deram o que ele (poema) esperava: a paixão.!
    abraço

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *