Este artigo é parte do Clube dos Escritores

O que é juventude?
Por Eder Quintão

Juventude é
A arte
De fazer arte
Sem ser artista

Juventude é
Viver o presente
Pleno de agitação
E de culpas ausente

Juventude é
Nascer sem ontem
E esquecer amanhã 
Tudo que lhe convém

Juventude é
Fase da idade
Que não entristece
Se carrega saudade

Juventude é
Aquele deleite
Iniciado pela queda
Do último dente de leite

Juventude é
O que permanece
Da infância à senilidade
Se ama, odeia ou desconhece

Juventude é
Culpar-se jamais 
Por todos desatinos
Não importam quais

Juventude é
Aquela ambiguidade
Que sempre aborrece
Entre infância e maioridade

Juventude é
Manhã consumida
Naquela infinita preguiça
Acordando da noite dormida

Juventude é
Caminhar sem receio
De estômago bem cheio
Livre de qualquer inquietude

Juventude é
O choro pelo soco no peito
Ser só carícia de irmão perfeito
Nunca assunto jurídico de direito

Juventude é 
O fato constatado
Ser tão útil conselho dado
Como fumaça de papel queimado

Juventude é
Vaidade sobre sagacidade
Obedecer a lei da gravidade: 
Inversamente proporcional à idade

Juventude é
Aquele estado
Em que aprendizado
Serve a tudo e a nada 

Juventude é
Humilhar adulto
Para se sentir estulto
Pela lentidão em aprender

Juventude é
Rir-se do idoso curvo
Sem perceber maldade 
Pois à compaixão é surdo

Juventude é
Demonstrar que ordem
Não precisa ser cumprida:
Basta fingir foi bem ouvida

Juventude é
Pelo mal-educado
Não mais ser provocado
Depois de havê-lo surrado

Juventude é
Morder-se de ódio
Se seu clube dileto
Perde para o desafeto

Juventude é
Fingir-se castigado
Temendo o resultado
Garantindo não reprisado

Juventude é
Consumir hoje 
Prazeres de ontem 
Mais todos que pôde

Juventude é 
A mentira primeira 
Que sempre antecede 
Todas da existência inteira

Juventude é
Sempre objetar
Se em causa própria
Querem impedi-lo julgar

Juventude é
Chorar amargurado
Sofrendo inconsolado
Incidente pueril frustrado

Juventude é
Fazer-se acabrunhado
Pelo fedor daquele cigarro
Descoberto escondido fumado

Juventude é
Conseguir explicar
Travesseiro vomitado
Após porre consumado

Juventude é
Na rede, espraiado 
Sorver livro pornográfico
Fingindo ler um geográfico

Juventude é 
Chantagear o pai 
Pego mirando sorrateiro
Da doméstica o peito inteiro

Juventude é
A cobiça
Pelo sexo oposto
Sedento por conquista

Juventude é
A iniciação sexual 
Trancado no banheiro
Masturbando-se dia inteiro

Juventude é
Sexo praticado
Antes de casado
Julgar ser pecado 

Juventude é 
Segredo guardado
Do hímen que rompido
Nunca mais é esquecido

Juventude é
Temer conceder 
Que foi a primeira vez
E acha não ser gravidez

Juventude é
Aula cabulada
Em seção de cinema
Beijando a namorada

Juventude é
Não desconfiar 
Do amigo de jornada
Roubando-lhe a amada

Juventude é
Inveja que o afeta
Por tudo que atesta
No rival que detesta

Juventude é
Covardia frente a leão
Qual matilha de chacal  
Se compartilha assédio imoral

Juventude é
Calvo estéril 
Ainda imberbe
De cabelo fértil

Juventude é
O tempo passado
Que não mais existe
E só serve se lembrado

Juventude é
O lamento
Por não ter feito
O que crê seu direito

Juventude é
Atingir a maturidade
Chegando finalmente
A tempo inconsequente

Juventude é
O distante momento 
De perene esquecimento
Com cérebro em derretimento

Juventude é
Prazer imensurável
Antes do indesejável
Imprevisto fim miserável

Juventude é
Viver entediado
Com coronária hígida
Até o óbito ser atestado 

A arte
De fazer arte
Sem ser artista

Juventude é
Viver o presente
Pleno de agitação
E de culpas ausente

Juventude é
Nascer sem ontem
E esquecer amanhã 
Tudo que lhe convém

Juventude é
Fase da idade
Que não entristece
Se carrega saudade

Juventude é
Aquele deleite
Iniciado pela queda
Do último dente de leite

Juventude é
O que permanece
Da infância à senilidade
Se ama, odeia ou desconhece

Juventude é
Culpar-se jamais 
Por todos desatinos
Não importam quais

Juventude é
Aquela ambiguidade
Que sempre aborrece
Entre infância e maioridade

Juventude é
Manhã consumida
Naquela infinita preguiça
Acordando da noite dormida

Juventude é
Caminhar sem receio
De estômago bem cheio
Livre de qualquer inquietude

Juventude é
O choro pelo soco no peito
Ser só carícia de irmão perfeito
Nunca assunto jurídico de direito

Juventude é 
O fato constatado
Ser tão útil conselho dado
Como fumaça de papel queimado

Juventude é
Vaidade sobre sagacidade
Obedecer a lei da gravidade: 
Inversamente proporcional à idade

Juventude é
Aquele estado
Em que aprendizado
Serve a tudo e a nada 

Juventude é
Humilhar adulto
Para se sentir estulto
Pela lentidão em aprender

Juventude é
Rir-se do idoso curvo
Sem perceber maldade 
Pois à compaixão é surdo

Juventude é
Demonstrar que ordem
Não precisa ser cumprida:
Basta fingir foi bem ouvida

Juventude é
Pelo mal-educado
Não mais ser provocado
Depois de havê-lo surrado

Juventude é
Morder-se de ódio
Se seu clube dileto
Perde para o desafeto

Juventude é
Fingir-se castigado
Temendo o resultado
Garantindo não reprisado

Juventude é
Consumir hoje 
Prazeres de ontem 
Mais todos que pôde

Juventude é 
A mentira primeira 
Que sempre antecede 
Todas da existência inteira

Juventude é
Sempre objetar
Se em causa própria
Querem impedi-lo julgar

Juventude é
Chorar amargurado
Sofrendo inconsolado
Incidente pueril frustrado

Juventude é
Fazer-se acabrunhado
Pelo fedor daquele cigarro
Descoberto escondido fumado

Juventude é
Conseguir explicar
Travesseiro vomitado
Após porre consumado

Juventude é
Na rede, espraiado 
Sorver livro pornográfico
Fingindo ler um geográfico

Juventude é 
Chantagear o pai 
Pego mirando sorrateiro
Da doméstica o peito inteiro

Juventude é
A cobiça
Pelo sexo oposto
Sedento por conquista

Juventude é
A iniciação sexual 
Trancado no banheiro
Masturbando-se dia inteiro

Juventude é
Sexo praticado
Antes de casado
Julgar ser pecado 

Juventude é 
Segredo guardado
Do hímen que rompido
Nunca mais é esquecido

Juventude é
Temer conceder 
Que foi a primeira vez
E acha não ser gravidez

Juventude é
Aula cabulada
Em seção de cinema
Beijando a namorada

Juventude é
Não desconfiar 
Do amigo de jornada
Roubando-lhe a amada

Juventude é
Inveja que o afeta
Por tudo que atesta
No rival que detesta

Juventude é
Covardia frente a leão
Qual matilha de chacal  
Se compartilha assédio imoral

Juventude é
Calvo estéril 
Ainda imberbe
De cabelo fértil

Juventude é
O tempo passado
Que não mais existe
E só serve se lembrado

Juventude é
O lamento
Por não ter feito
O que crê seu direito

Juventude é
Atingir a maturidade
Chegando finalmente
A tempo inconsequente

Juventude é
O distante momento 
De perene esquecimento
Com cérebro em derretimento

Juventude é
Prazer imensurável
Antes do indesejável
Imprevisto fim miserável

Juventude é
Viver entediado
Com coronária hígida
Até o óbito ser atestado 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *