De novembro até maio, chove muito no Pantanal – e isso não poderia ser melhor para o ecoturista. Rios, lagos e lagoas inundam, formando canais de ligação entre si. O resultado é uma imensidão de água e uma abundância e variedade de fauna e de flora como não se encontra em nenhum outro lugar do mundo. Muito perto do Pantanal sul mato-grossense, que também foi considerado um dos Patrimônios Naturais do Mundo, pela UNESCO, encontra-se a Bonito, famosa por suas formações de rochas calcárias, nascentes de rios cristalinos, fauna e flora abundantes (Foto/Texto: Divulgação/Auroraeco Viagens)

De novembro até maio, chove muito no Pantanal – e isso não poderia ser melhor para o ecoturista. Rios, lagos e lagoas inundam, formando canais de ligação entre si. O resultado é uma imensidão de água e uma abundância e variedade de fauna e de flora como não se encontra em nenhum outro lugar do mundo. Muito perto do Pantanal sul mato-grossense, que também foi considerado um dos Patrimônios Naturais do Mundo, pela UNESCO, encontra-se a Bonito, famosa por suas formações de rochas calcárias, nascentes de rios cristalinos, fauna e flora abundantes (Foto/Texto: Divulgação/Auroraeco Viagens)

De novembro até maio, chove muito no Pantanal – e isso não poderia ser melhor para o ecoturista. Rios, lagos e lagoas inundam, formando canais de ligação entre si. O resultado é uma imensidão de água e uma abundância e variedade de fauna e de flora como não se encontra em nenhum outro lugar do mundo. Muito perto do Pantanal sul mato-grossense, que também foi considerado um dos Patrimônios Naturais do Mundo, pela UNESCO, encontra-se a Bonito, famosa por suas formações de rochas calcárias, nascentes de rios cristalinos, fauna e flora abundantes (Foto/Texto: Divulgação/Auroraeco Viagens)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *