Este artigo é parte do Clube dos Escritores

Uma gota de chuva,
por Liliana Wahba

A frente da grande janela de vidro uma folha se destaca, nela escorregam as gotas de chuva,

Desliza uma de cada vez, no sulco da folha, até a ponta, quando …,

Em algum momento, agora sem registro, a vivacidade foi ofuscada pela dor, ainda que o percurso continuasse.

O tempo da gota se iguala ao tempo do universo, tranquilo e indiferente ao olhar, deixa sua trilha molhada e límpida,

Sussurros cadentes e batidas de um coração que parece alheio; dentro ou fora, traçamos um destino ou somos por ele fabricados?

A gota reluz na folha de um verde intenso, reflete cores e luminosidades, tão transparente e brilhante, muda ligeiramente de forma, circular, oval,

O percurso da dor me fez descrente e esquecida, o fulgor era de outrora.

O tempo para na expectativa do desprendimento dessa gota; parece agora imóvel, aguardando,

E, num instante de eternidade, se solta da folha para o espaço aberto.

One comment

  1. Lindíssima metáfora da vida, do absolutamente inefável. Tentamos palavras e imagens, sempre insuficientes.
    Encantamento e dor, tempo e morte numa gota de chuva que se desprende. Gostei demais.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *